sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Dos meus remédios..

Sempre gostei de saber exatamente o que eu estava usando, e como isso iria me comer por dentro. Eu podia ver claramente isso corroendo tudo aquilo que tocava, destruindo meus órgãos e manchando meu sangue.. como um fungo crescendo dentro de mim.
Quando eu tinha 14 anos eu era um especialista em remédios. Sabia quais usar, sabia qual era a dosagem certa, decorava nomes e 'ares'. Por favor, não estou falando em usar remédios com sua verdadeira finalidade - curar.
Eu curava - isso sim - era meu tédio com misturas de anfetaminas, ansiolíticos, anticonvulsivantes e álcool. Eu queria atingir um grau em que eu entrasse em outro lugar, que me fizesse esquecer do que via, do que sentia, do que não passava.
Naquela época estava longe de possuir o poder aquisitivo que hoje tenho, usava roupas que hoje já não usaria mais. Da minha boca saiam gírias que hoje não saem mais.
Estava com uma amiga e íamos encontrar meu ex - aquele que havia me levado na festa do traficante. Passamos na farmácia - anfepramona, berotec, benflogin, rivotril. Misturamos com muita cerveja, muito vinho.. Moíamos o remédio, cheirávamos tudo de uma só vez. Me lembro que deveria ser umas 16 horas da tarde, numa praça no centro da cidade, com aquele sol relativamente forte.
Bebemos durante horas, e ingeríamos mais e mais remédios. Fomos parar na casa do meu ex para pegarmos remédios para câncer, que a vó dele - hoje falecida - tomava. Tomamos uns e cheiramos outros, bebemos mais. Provavelmente eu devo ter tentado transar com ele, mesmo tendo pessoas no quarto, assistindo cada cena que eu protagonizava. Hoje, vejo que nem que eu quisesse eu teria conseguido devido ao meu estado. Me lembro de chegar em casa visivelmente desorientado, dançar na sala num pico de energia. Acordei no dia seguinte não entendendo nada do que as pessoas me falavam.. as vozes distantes, as imagens como que irreais. Foram dois dias fora do meu estado normal de consciência - e sim, o conjunto das minhas experiências devem ter deixado marcas no meu corpo, não só da violência provocada e sofrida mas também do consumo desenfreado daquilo que fode, que machuca. Do meu auto-consumo.

24 comentários:

Dido Carvalho disse...

Bão também,

Parabéns pelo blog. Os posts são bem interessantes.

Abração

Clarissa ~ Ultraviolet disse...

"histórias nossas histórias..." ... eu, mesmo com minha pouca idade tenho mto pra contar de momentos como esses.. q a gente vive e depois se arrepende.. mas q deixam, bem como marcas, aprendizados e lições...

bjos e mto sucesso... com certeza voltarei aqui

http://meus-sonhos-vazios.blogspot.com/

Mariá Romano disse...

deliciosamente interessante, voltarei sempre ;*

Avenida Paranjana disse...

cuidado com os remedios

Anônimo disse...

Blog intenso e interessante . ^^

Luan A. Miolo disse...

Blog legal ! =)

Estudio11 disse...

Muito bom seu texto.
literatura de beco, marginal..
Otimo.
acho que você vai gostar do texto novo de nosso blog.
http://estudio11.blogspot.com/

Hernan Fernandez disse...

Meu único comentário é, consegui visualizar por meio de suas palavras como provavelmente aconteceu. E isso que é o melhor desse blog, poder sem mesmo estado nos lugares, mas sentir como se fosse testemunha.
Tenha uma ótima semana!
beijos! ;)

muvilord disse...

o conteudo desse blog é interessante, pena que eu nao tenho tempo pra ler tudo!
mas pelo que eu vi, paresse que ta indo bem
abraço

Jesica Nepomuceno disse...

Os posts são relatos pessoais. Visita o meu e deixa um comentário.



http://noticiapop.com

Tatá...;) disse...

interessante...
voltarei...
bjus

http://taynalu.blogspot.com/

ANDRÉ MANS disse...

seu blog tem uma sinceridade aguda e isso me atráia... dos meus remédios, já fui viciado em Dorflex... super banal né? ;P

O amor e etc. disse...

Sempre bem contadas e muito emocionantes as suas histórias, mas cuidado com tudo isso, cara. Beijos

André disse...

roipinol com vodka
lexotam com velho barreiro
diazepam com vodka
hipofagim com cerveja
lorax com qualquer coisa
rivotril com qualquer coisa
morfina do medico parceiro
inibex antes, durante e depois da festa...

Vivi Diniz disse...

Nossa!! Foi bem pesado dessa vez, hein? Tenho certeza que eu nao teria a coragem de fazer o que vc fez... mas como sempre digo é tudo coisa de fase... cada na sua, na sua epoca, com as suas ideias!
Parabens pelo blog, muito bom
beijos
byy

André disse...

cogumelos...cogumelos...cogumelos...o que voce acha?

xisde-xd.com disse...

Doidão vc ein .. .asokasosakasok



┌────────────────────┐
→ Visite: WWW.XISDE-XD.COM
└────────────────────┘

Leo Pinheiro disse...

Eu sou suspeito para falar ja´que sou vegetariano, não bebo e não tomo drogas...Nenhuma!

Nem aspirina, para ser sincero!

¢auê. disse...

otimo texto...você escreve mto bem =]

parabéns pelo blog ;D

(( E r i k a )) disse...

Olá de novo!
Pois é, muitas coisas que fazemos quando somos mais jovem, nos deixam cicatrizes pra toda a vida!

Muito obrigada pelo comentário em meu blog!
Pois é, pareço infantil pra muita gente mesmo tendo 18 anos, não é meu gênero querer agradar as pessoas, sou assim e não tenho como mudar!

Abraços!

Josi Puchalski Sousa disse...

Tb sou adepta da Farmaco...;-0

Adoro teus posts,são autênticos e muito,muito interessantes...

Adoro

;-)

Me visita lá : http://minhasmisturas.blogspot.com/

Beijo

so na disse...

muito bom,
blog muito da hora voltarei sempre
xD

KGeo disse...

caracá isso é uma historia pesada

Gabriela Sayour disse...

Incrivelmente fascinante.
Sempre gostei de relatos junkies, mais ou menos desse tipo, de auto-destruição, como você mesmo descreve.. Mas nunca encontrei algo relatado como os teus textos. Não digo das experiências, óbvio. Digo do modo como relata, se descreve, e transcreve o momento, que parece nos fazer sentir a intensidade que tivera quando ocorrido. Parece mágico, imagino-me na situação. Observando-o.
Bah, incrível mesmo. Tá de parabéns pelo blog, e voltarei sempre.